quinta-feira, 15 de maio de 2014

ATLÂNTIDA, O JARDIM DO EDEN.


Seja Santificado e
Santificados são os seus habitantes,
porque estou no meio de vós.
 Livro Atlântico das Leis)

O Tempo do qual vamos falar, estende-se mais ou menos do ano 83.000 até o ano 67.000 antes do grande dilúvio do nosso planeta.
Trata-se do tempo, no qual os anjos orientavam e guiavam os homens.
Naquela época primitiva, a superfície do globo apresentava um aspecto completament diferente. Os continentes ainda não tinha a forma de hoje. Algumas partes formavam blocos sólidos,outras, qu ainda hoje pertencem a um continente eram grandes ilhas.
existiam três grandes áreas continentais de alta cultura primitiva quais são: Lemúria e Moo.
Em todos os três continentes existiam ainda pre-formas hominais, forma de homens/animal.
Enquanto e outros continentes houve o desenvolvimento dos primatas, seguindo uma lenta evolução natural,para poder chegar à forma definitiva do homem, na  Atlântida originavam-se seres de um desesnvolvimento espiritual maior, através de intervenção direta das forças divinas.A Bíblia define  este ato de criação simbólico como "sopro divino" do espírito dentro de uma forma de barro-a forma física do homem, que ainda tinha aspecto animal. O ser assi criado, era capaz de modelar e dominar seu aspecto físico através do espírito.
Beleza, harmonia e paz caracterizava a vida dos homens da Atlântida no " Jardim do Eden".
Eles viviam por um longo período de tempo, por volta de 280 anos conforme nossa atual contagem de tempo e quando finalmente morriam, realizavam a passagem conscientemente, saindo da existência física para a existência puramente espiritual. O medo da morte era desconhecido, porque a morte no sentido atual, isto é, o apagamento da consciência, não acontecia. Por isto também não havia luto entre os familiares, mas a passagem era festejada.
Não se matava homens ou animais. A consciência da aliança absoluta com Deus e a natureza, não permitiam isto.
Nem todos os Atlântis tinham o mesmo nível de consciência e nem todos tinhm a mesma responsabilidade.
(...)
O nome Atlântida era derivdo do nome da capital, Atlântis, e originou-se dos forasteiros, que visitavam o país durante as suas caravanas.
Atlântis significa: " O todo poderosos no qual repousa o mundo'.
Dentro da Mitologia grega, o gigante "Atlas", quem carregava o mundo nos ombros , reflflete ainda hoje este mesmo significado.
A capital Atlântis era construída em forma de doze anéis em cima e uma colina longíqua. cada anel era delimitado por uma muralha. Cada muralha continha as vibrações e a energia de uma determinada pedra preciosa e do anjo correspondente a esta pedra. Encontraremos essas pedras preciosas novamente na descrição do templo, cada muralha continha um portal e atras de cada muralha existia uma estrada circundando a cidade. Todos os portais eram unidos por ua estrada, que conduzia diretamente ao templo do topo da colina. E Deus morava no meio dos homens, e a sua luz iluminava a todos", como nos é narrado desde os tempos remotos.
O suntuoso Templo principal era a moradia de Deus. Existia um rcinto espaçoso no meio dos templo em forma de uma estrela de seis pontas. O piso, o teto e as paredes eram cobertas de ouro puro. Este recinto não tinha portas nem janelas. Ninguém entrava lá- era um lugar sagrado. Esta moradia de Deus constituía o centro do "santuário interno", um recinto quadrado coberto de pura prata. Circundando o santuárioestrelar existiam imbutidos no chão 12 anéis, distantes um do outro 12 varas. Cada círculo era feito de ouro e em cada círculo eram posicionadas12 pedras peciosas de tamanho gigante. Cada pedra preciosa era do tamanho de 1/2 homem adulto.
O primeiro círculo, o mais distante do centro, continha 12 pedras de jaspe cristalino, o segundo continha 12 safiras, o terceiro 12 calcedônias, o  quarto 12 esmeraldas, o quinto 12 sardônicas, o sexto 12 sárdios.
O sétimo era constituído de 12 crisolitos, o oitavo de berílo, o nono de topázio, o décimo de crisopásio, o décimo primeiro era feito de jacinto e o décimo segundo distante 12 varas da moradia de Deus, era de amestista.]Contemplando esses números  pelo ponto de vistacabalístico, deciframos o seu sentido:
12 vezes  12 pedras preciosas resulta em 144 pedras.
A somatória do número 144= 9, que é o número da perfeição. 9= 3 vezes 3- a trindade divina na trípla potência: pai, filho ( logos) e espírito ( Schechina+ a força divina feminina).
12 círculos vezes 12 varas de distância resulta novamente em 144- novamente o 9.
144 varas vezes 12 anjos, resulta em somatória 9 144 (varas) vezes 144 pedras resulta em 10. 736: aprieira somatória disto e 17= fé, amor, esperança a segunda somatória e 8, o que e o número do infinito e da justiça. " A justiça de Deus é infinita e a infinidade divina é justa".
A somatória de todas as letras que formam o nome das pedras preciosas resulta em 11 ( em alemão), o qu é igual ao poder espiritual e dsto resulta por sua vez o 2, o que significa sabedoria.
Para cada pedra preciosa Deus tinha nomeado um anjo. Esses 144 anjos tinham como tarefa ajudar   e proteger os homens e de ensiná-los. A cada um desses anjos era subordinado u Loki.
Analisando a forma de governo, o Império de Atlântida era dividido em 12 reinados, dos quais cada um era reinado por um rei. Mas esta divisãonão pode ser compreendida geográficamente.
A divisão era feita por determinadas tarefas as quais ainda serão ser abordadas.
Um rei do império era nomeado pela graça divina. Os habitantes do Ipério era considerados iguais. Ninguém era considerado superior ao outro. Ser rei, não era um privilégio, pois significava uma tarefa árdua, repleta de esforços e deveres- uma incumbência.
Ao lado de cada rei havia um ano, para conduzi-lo e ensiná-lo. Esses 12 anjos do ipério não tinham noes, para não limitá-los, eram evocados confore suas tarefas:
Anjo da vida
Anjo da alegria
Anjo do sol
Anjo da água
Anjo da terra
Anjo do ar
Anjo da eternidade
Anjo da criatividade
Anjo do amor
Anjo da sabedoria
Anjo da harmonia
Anjo da força
Cada um desses 12 rinados tinha então sua tarefa, seu "tema" dentro de u dos princípios dos anjos, e o rei era responsável pela realização dese princípio dentro do seu reinado.
Uma vez por ano, os reis se reuniam na capital para realizar o encontro dos reinados. Reuniam-se na "sala dos reinados", cujo teto era suportado por 12 colunas, Cada coluna portava o nome de um dos reinados, e nela tinha o trono do rei responsável.
Durante 12 dias os reis permaneciam nesta sala, aconselhando-se.
No terceiro dia saiam em procissão do templo, para a celebração de uma festa especial. Lá também aparecia o Arceloki, para lhes comunicar a vontade de Deus.
Se o rei morria, Deus counicava o nose deslocava em em procissãoe do suessor através do Arceloki, pois não existia o direito hereditário ao trono. Qualquer um poderia tornar-se rei, e por isso o anúncio era esperado por todos com grande ansiedade e festejado om grande alegria.
Após esses pronunciamentos, Arceloki se deslovcava em procissão para a grande praça em frente ao templo, acompanhado pelos 144 Lokis ond eram esperados pelo povo.
No início desta praçatinha um mosaico de pedras azuis e douradas em forma de uma estrela de 6 pontas (hexagrama/ estrela de Davi), contendo os lacres dos 12 anjos dos reinados, nas suas cores correspondentes.
Os Lokis procuravam seus lugares na estrela m coordenação co os anjos. O Arceçoki se dirigia ao seu lugar no meio da estrela.
Aos pés do Arceloki era colocado umpaciente- um doente ou um aleijado de qualquer idade e o Arceloki  praticava o grande ritual angelical de cura, para a cura do paciente. No início deste ritual sempre era entoado um hino ao louvor de Deus. Enquano isto os 12 Çokis aguardavam junto as pedras peciosas.
Essas pedras preciosas transformavam e aumentavam as forças dos anjos, e, convergindo as energias, serviam como ponto intermediário entre as esferas terrestres e divinas. Essas forças comprimidas eram levadas pelos Lokis superiores a praça do templo. Atavés da vibração de determinados sons da linguagem espiritual,os anjos eram evocados, e solicitada a sua ajuda. As forças dos anjos, transformadas através das pedras preciosas eram direcionadas para atuação direta nas células corporais proporcionando assim uma cura imediata e transformação do corpo.
O ritual terminava novamente com um hino. Após isso, a multidão voltava para suas casas, com júbilo.
Levanta-se, então a questão,de como era possível a existência de doentes e leijados neste reino paradisíaco.
Lembremos que a base primitiva do homem atlãntico era um corpo animal,como era encontrado no planeta terra em todos os lugares. De vez em quando, aconteciam "acidentes genéticos" na procriação dos Atlântas, nos quais aparecia a form primitiva, trazendo consigo distúrbios.
No decorrr do tempo, habitantes de outras partes do planeta chegavam a Atlântida no decorrer de suas viagens. A mentalidade deles diferia primordialmente dos Atlântas, era imprimida por pensamentos bélicos e de poder. Frisava a posição do "EU" em comparação ao " TODOS- DENTRO-DA-UNIDADE" Aos poucos os Atlântas eram infectados pelo bacilo desta forma de pensamento. Aconteciam micigenações, cuja consquência era, que os descendentes demonstravam formas doentias ou aleijadas.
Embora as pessoas assim prejudicadas ainda pudessem ser curadas, acontecia um vagaroso declínio da consciência no decorrer dos milênios, para uma forma direcionada cada vez mais ao estado materialista e tecnico.
A palavra "nós", aliás, "ele" tornou-sem em "EU".Medo e morteera a consequência. Tinha acontecido o pecado original.
a decadência no fim do segundo período atlântido, seguia afinal a catastrófica destruição do continente que, entre outras consequências, acelerou a divisão dos blocos continentais.
Mas, reconhecendo em tempo hábil os perigos do afundamento, os iniciados levavam a sabedoria antiga a outros países da terra para protegê-la de esquecimento.Traços dessa sabedoria reconhecemos ainda hoje em algunas culturas antigas , entre sábios e shamanes e na essência de muitos mitos, como também em rligiões e cultos. Lendas de deuses vindos dos céus (as vezes tidos como astronautas)
relacionavam-se om os Atlântas iniciados, que vieram dentro de seus objetos voadores.
após um tempo infinitamente loqungo depois do desaparecimento da Atlântica, esta antiga herança apareceu também em uma pequena comunidade da Palstina, chegando a humanidade através dos ensinamentos do "maior" entre eles,0- desde tempos remotos protido messias- Jesus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário